Empowerment na Era Digital

27 Nov Empowerment na Era Digital

Há uns tempos li sobre a emergência do empowerment, uma das tendências catalisadoras dos nossos tempos, que tem vindo a crescer muito pela vulgarização da utilização das redes sociais, dando aos consumidores poder e decisão sobre as marcas, produtos, ideias e políticas. O empowerment é muito mais do que transferência do poder para o consumidor ou cliente, termo muitas vezes usado pelas grandes empresas.

O que os novos tempos trazem é uma vontade de ter ferramentas e meios para se desenvolverem pessoalmente, profissionalmente e, mais do que nunca politicamente, como forma de serem capazes de contribuir mais ativamente por si próprios, para as suas famílias, para as suas comunidades e para o Mundo. Um exemplo recente, é o dos vídeos que surgem em modo de partilha da catástrofe ambiental que ocorreu no Rio Doce, no Brasil, onde um deles – Brazil Doce River is Full of Death Fish (http://on.fb.me/1Thx0y9)- em menos de 24 horas já teve mais de 8 milhões de visualizações. O que reflecte bem o poder das redes sociais, assim como, a globalização de consciência, neste caso ambiental.

Este movimento traduz-se num otimismo ativo não só de tirar o mundo da confusão em que se encontra mas, mais importante, mudá-lo no sentido de evitar, ou minimizar, os desastres financeiros, ambientais, humanos e a falta de ética, que se instalaram e cresceram nos últimos tempos.
Dar poder ao consumidor e aos colaboradores significa um aumento do poder da marca, pela criação de novos e melhores consumidores/clientes, com um impacto positivo no negócio e na sociedade.